Resende, 24 Outubro de 2014
 
Facebook Twitter Orkut Linkedin


Notícias

 
  Aeroporto Regional será no limite de Volta Redonda e Piraí



As obras do Aeroporto Regional devem começar nas próximas semanas. A informação é do presidente da EPD-VR (Empresa de Processamento de Dados de Volta Redonda), Paulo Netto, responsável pelo planejamento do projeto. Após o início das obras, o aeroporto, que está orçado em R$ 47 milhões, durante licitação feita em 2008, deve ficar pronto até o dia 31 de dezembro de 2011.

Uma das etapas finais para o início das obras era a desapropriação de terras de 1,9 milhão de metros quadrados para construção do aeroporto, que foi publicada ontem no Diário Oficial do Estado. A publicação trouxe ainda um acréscimo de 20% na extensão do aeroporto, chamado de Aeroporto Vale do Aço. 
- Vai começar nas próximas semanas. Agora estamos aguardando a emissão da posse, como pede o artigo 3 da publicação - declarou.

Segundo Netto, ainda não foi levantado o número de pessoas necessárias à obra ou seu valor final, apenas o licitado em 2008. Mas já se previu que a obra deve ir até dezembro de 2011.

- Foi R$ 47 milhões na época da licitação, feita em 2008. Vai começar e vamos esperar. O término está previsto para 31 de dezembro de 2008 - lembrou, acrescentando que a empresa responsável pela construção será a Carioca engenharia.

Ele acrescentou que o investimento para o aeroporto, cuja pista terá 2,2 mil metros de comprimento por 30 metros de largura, podendo receber aeronaves que transportem até 150 pessoas, foi uma parceria com o Governo Federal, através do Profaa (Programa Federal de Auxílio a Aeroportos). 

Segundo o secretário estadual de Transportes, Júlio Lopes, a fase inicial da obra já começou. Ao todo, apenas nesta primeira fase devem ser investidos R$ 12 milhões.

- As obras foram iniciadas este mês e estão na fase de estudos e sondagens topográficas. A limpeza da área deve começar ainda este ano. O aeroporto vai atender a uma grande demanda de municípios como Piraí e Volta Redonda e ainda Barra Mansa e Porto Real. O terminal trará ainda mais progresso para a região - ressaltou Julio Lopes, informando que o custo total da obra poderá chegar a R$ 56 milhões.

O aeroporto deverá atender a municípios de toda a região, oferecendo voos regulares para Rio, São Paulo e Belo Horizonte, operados com aeronaves de médio porte. No entanto, a pista será dimensionada para receber aeronaves maiores, o que evita, pelo menos no médio prazo, a necessidade de obras de expansão. 

A demanda prevista para o aeroporto é de 18 mil passageiros por ano, com uso do aeroporto também para voos de carga. O terminal de passageiros terá 750 metros quadrados.

Apesar de Netto não ter afirmado quantas pessoas deverão trabalhar nas obras, havia uma previsão que, no auge das obras, a empreiteira operasse com até 250 funcionários diretos, sendo que a prioridade será a contratação de mão de obra da região.
Licenças
O sistema de licenciamento ambiental para obras de grande porte, como a do Aeroporto Regional, conta com três fases: Licença Prévia, Licença de Instalação e Licença de Operação. A primeira já havia sido concedida em janeiro de 2009 e, como o nome sugere, trata-se apenas de uma licença preliminar, concedida pelo órgão ambiental responsável após verificação da área pretendida. As condições da área devem estar de acordo com o permitido pela legislação ambiental.

A Licença de Instalação é o documento que realmente permite que a empresa se instale e comece a obra. Para requerer essa licença, a prefeitura teve que pagar uma taxa, o que aconteceu em abril deste ano, e assegurar o cumprimento de uma série de exigências feitas pelo Inea. Entre estas exigências estava a desapropriação do terreno, como Paulo Netto havia citado.

Por fim, a Licença de Operação é concedida após o término das obras e permite o funcionamento do aeroporto. 
O aeroporto será construído no loteamento Roma II, no Roma, entre Volta Redonda e Arrozal, distrito de Piraí e próximo à Rodovia Presidente Dutra.
 
Fonte: Diário do Vale 
<< Voltar