Resende, 23 Outubro de 2014
 
Facebook Twitter Orkut Linkedin


Notícias

 
  Nota Fiscal Eletrônica



 Inadimplência do consumidor registra a maior queda
Inadimplência do consumidor registra a maior queda em fevereiro desde 2004, revela pesquisa

Em Resende, CDL registra queda no número de registros de consumidores no SPC

Mesmo com as compras facilitadas do Natal e as pressões das despesas de início de ano, como IPVA e IPTU, o crescimento da economia está contribuindo para que os pagamentos dos consumidores sejam honrados. Segundo pesquisa da Serasa, a inadimplência do consumidor, na comparação anual, registrou queda de 2,2%, representando o maior recuo para esta relação entre os meses de fevereiro, desde 2004. Na relação mensal - fevereiro contra janeiro de 2010 - a inadimplência apresentou queda de 3,1%.

Em Resende, o número de novos registros no Sistema de Proteção ao Crédito (SPC) teve queda de mais de 50%, segundo dados da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL). Em fevereiro, foram contabilizados 443 registros contra 959 em janeiro. "Os números demonstram que o consumidor que ficou desempregado durante a crise e recuperou seu emprego no segundo semestre de 2009 buscou cautela em seus gastos. O retorno do crédito e a renegociação de dívidas também estão promovendo um fôlego no orçamento", argumenta Romana Diniz Lamin, presidente da CDL Resende.

Segundo pesquisa da Serasa, no acumulado do ano - primeiro bimestre de 2010 em comparação com o mesmo período do ano anterior -, a inadimplência dos brasileiros caiu 5,3%, representando o maior percentual de queda nessa relação, desde 2000. A comparação entre duas conjunturas econômicas distintas, a atual com forte crescimento da economia, aumento do emprego e evolução da renda, e a do início de 2009, com um dos momentos mais críticos da crise, com a inadimplência em alta (4,5%), possibilitou uma menor inadimplência do consumidor neste ano.

"A perspectiva é de que a inadimplência do consumidor continue em queda por, pelo menos, todo o primeiro semestre de 2010, coerente com o bom cenário econômico, a geração de empregos e a evolução da renda", analisa Romana.

Participação dos componentes do Indicador - As dívidas com os bancos representam a maior parcela da inadimplência do consumidor no país. No primeiro bimestre de 2010, a modalidade representou 48,1%, no indicador. No mesmo período de 2009, este percentual era de 43,4%. Em seguida estão as dívidas com cartões de crédito e financeiras, representando 32,9% de janeiro a fevereiro deste ano. No acumulado de 2009, a participação da mesma modalidade era de 37%. Em terceiro lugar, aparecem os cheques sem fundos, com 16,9% de representatividade nos primeiros dois meses de 2010. Na mesma comparação do ano anterior, a participação no indicador era de 17,7%.

A menor parcela é representada pelos títulos protestados que registraram 2,1%, no primeiro bimestre deste ano, contra 1,9% no primeiro bimestre do ano passado.

 

Flávia Resende
Follow Assessoria de Comunicação 
<< Voltar