Fundação

A CDL Resende nasceu graças ao empenho do comerciante - hoje aposentado - Heitor Frutuoso Guimarães. No início da década de 70, Heitor foi convidado pelos diretores da CDL Barra Mansa, Walter Ferrão, e da CDL Três Rios, Goergino Salestiano, para participar das reuniões das entidades desses municípios. Entusiasmado com o que viu, decidiu arregaçar as mangas e iniciar o trabalho de mobilização dos lojistas para fundação da CDL Resende.
"Durante três meses, visitei vários comerciantes para falar sobre a CDL e sobre o trabalho que estávamos propondo para a cidade", recorda Heitor, que contou com a ajuda dos empresários João Maurício Tavares, Sílvio Ramos Pimentel, Paulo Zuker, Eduardo Ratinetz e Luiz Renato Braganholo.

Depois de algumas de reuniões, foi formada a base da primeira diretoria. Mas apesar de estar à frente da mobilização para fundação da entidade, Heitor preferiu não ser presidente logo no primeiro mandato. "Não tinha experiência suficiente para assumir a CDL", conta ele, que comemorou a eleição do empresário Vanderlei Carneiro Siqueira para o cargo de primeiro presidente da CDL Resende. "Mas não tive como correr do trabalho: elegeram-me segundo vice-presidente", brinca o aposentado. No total, 28 lojistas assinaram a ata de fundação da entidade.

No início, as reuniões da diretoria aconteciam na sede do Clube CCRR. Algum tempo depois, foi alugada a primeira sede da entidade, na Rua Padre Marques. O serviço de SPC foi incorporado à CDL em 1978. "Nossos funcionários trabalharam muito para organizar o primeiro cadastro. Eles visitavam loja por loja da cidade para copiar em fichas os dados dos clientes inadimplentes", lembra Heitor.

Por conta da desistência do primeiro presidente do cargo, em novembro de 1977, Heitor assumiu o comando da CDL Resende. Durante sete mandatos como presidente, ele trabalhou arduamente para que a entidade ganhasse credibilidade e respeito.

"Tenho um orgulho enorme de ter colaborado para a fundação desta grande entidade que é a CDL hoje. Foram muitas noites em claro planejando atividades para fortalecer a classe lojista, mas o trabalho valeu a pena. Hoje a CDL é uma entidade respeitada, com tradição no município", afirma Heitor.

 

Anos 70

O serviço de SPC foi incorporado à CDL Resende em 1978. Nesse início, uma caixa de sapatos guardava as informações sobre as compras. Muitos criticavam o serviço, já que por um bom período as informações não continham restrições de crédito. No início dos anos 80, quando as informações passaram a chegar de outras cidades e a base de clientes foi crescendo, o serviço passou a dar o resultado que os comerciantes necessitavam.

Na gestão do falecido presidente Paulo Gustavo Ramos, o Painha, foi comprado um arquivo rotatório para facilitar o manuseio e agilizar a velocidade das informações passadas por telefone. Em julho de 1988, o SPC da CDL Resende passou também a divulgar informações do Banco Central (BACEN). A ideia fundamental da entidade evoluiu, passando a prestar informações sobre crédito e cheques.

O departamento de consultas cadastrais protege a venda e a compra - fornecedor e o consumidor - para que as negociações tenham maior agilidade e segurança.

A preocupação com a qualidade do atendimento se faz visível nas instalações modernas e na tecnologia de última geração, recursos indispensáveis para um crescimento permanente. Com um quadro funcional em constante processo de treinamento, nossa CDL aprimora-se a cada dia, criando as condições necessárias para proteger e facilitar ainda mais a vida das empresas associadas.

 

Anos 80

Foi em julho de 1988 que Áurea das Graças Saldanha da Rosa iniciou sua carreira na CDL Resende. Diretamente ligada ao setor de atendimento, ela viveu de perto todas as mudanças de estrutura daqueles tempos até os dias de hoje. Foram anos de arquivos giratórios e máquinas de escrever.

"Aprendemos muito nessa época, tínhamos que manter uma disciplina exemplar, pois nada podia estar fora do lugar. As nossas fichas, com as informações dos clientes e dos lojistas precisavam estar sempre organizadas. Os processos de atendimento normais já demoravam mais naquela época, não podíamos criar mais empecilhos", lembrou Áurea das Rosas.

A técnica funcionava nos padrões da época, máquina de escrever, arquivo giratório, fichários (com seis andares de fichas), caixotes com divisórias, faziam que faziam as vezes dos arquivos e mesa de PABX, aparelho que permite conexões de chamadas internas pelos colaboradores da empresa. A auxiliar de escritório lembra que cinco pessoas formavam a equipe nesse período.

"O que mais me surpreende em olhar para trás é perceber que a tecnologia e agilidade que eu disponho hoje não substituíram a qualidade no atendimento que a CDL Resende preza, desde sua fundação. O mundo moderno faz com que tudo se resolva rápido. Mas, eu confesso que sinto falta do contato diário com nossos associados. Hoje é tudo online, quase não os vejo mais", lembra com saudades, Áurea.

"Só tenho a agradecer por tudo que vivo aqui dentro. Minha maior satisfação em ser parte da equipe da CDL Resende é ser respeitada e reconhecida pelo que faço. Meu desejo é de que o setor de Atendimento continue crescendo e atendendo da melhor forma nossos lojistas. Muito obrigada pela oportunidade de fazer parte dessa conceituada instituição", finalizou a auxiliar de escritório.

 

Anos 90

Em 1995 a CDL Resende escreveu mais um capítulo da sua história. A nova sede foi inaugurada na Avenida Marechal Castelo Branco, em 04 de fevereiro daquele ano. Um andar inteiro para dividir os setores e receber de forma ainda melhor os associados. De lá pra cá as mudanças foram apenas de adaptação dos espaços. A nova Casa faz história.

"Entrei na CDL Resende um ano antes da mudança para a nova sede. Quando chegamos ao endereço atual, existia apenas um condomínio e a CDL. Quase não havia comércio nesta região. O avanço da cidade foi acompanhado da nossa janela. Posso dizer que caminhamos juntos a essa evolução. O município foi crescendo e nós fomos acompanhando a nova demanda", lembrou Luciana Lima, consultora comercial na entidade, há 17 anos.

Hoje a sede da CDL é ampla, possui espaço específico para reunir os associados e realizar eventos. A entidade tem aproximadamente 1000m² e está dividida em departamentos - comercial, de treinamento, ouvidoria, de comunicação e planejamento, financeiro, de certificação digital, patrimônio. Além do atendimento ao balcão e a gerência. Dessas mudanças, Luciana destaca as duas: "A sala de capacitação e a reforma do salão de festas".

"Um ambiente confortável contribui muito para a produtividade. Um profissional que se sente bem no local de trabalho produz mais", destacou a consultora comercial, que acrescentou: "Os lojistas se sentem em casa. Podemos observar essa reação durante as reuniões e em cafés da manhã e Happy Hours aqui realizados".

A CDL Resende mantém constante preocupação em aprimorar seu trabalho. Isso engloba a manutenção do espaço físico para os colaboradores e para os lojistas.

"É muito importante manter esse padrão, porque a CDL se aprimora não pensando apenas na instituição, mas no associado. Hoje nós temos espaços onde podem ser realizados cursos, treinamentos e seleção de funcionários, por exemplo", citou Luciana.

De tudo isso, a consultora comercial só tem a agradecer: "É gratificante saber que nós contribuímos de alguma maneira para esta evolução. Muito bom poder dizer que faço parte da família CDL e que esta é a minha segunda casa", finalizou Luciana.

 

Anos 2000

Os anos 2000 trouxeram os desafios do novo milênio, mas em matéria de novidades e revoluções, a CDL não ficou para trás. Ainda em 2001, durante a gestão do então Presidente, Reynaldo Lombardi Raeli, foi criada CDL Jovem de Resende. O objetivo era atrair e conscientizar os jovens empresários e filhos de empresários a constituírem uma diretoria jovem. Nos primeiros anos, a CDL Jovem se encarregava da captação de novos membros e da elaboração e execução de projetos de cunho social e filantrópicos. Com o passar dos anos, receberam também a responsabilidade pela comunicação da CDL e de levar adiante uma das mais importantes missões da CDL Itatiaia-Resende: a capacitação de empresários e funcionários através do Capacita Comércio, programa criado posteriormente, em 2010.

Em 2008 mais uma conquista inédita, pela primeira vez na história, durante a gestão do então Presidente, Alberto Glenn Halpern, a Convenção Estadual da FCDL-RJ, que era comumente realizada em resorts, veio a ser realizada pela CDL Resende no Teatro da Academia Militar das Agulhas Negras – AMAN. Foram 3 dias de confraternizações memoráveis, palestras e debates com a presença de renomados profissionais do ramo empresarial, tornando essa uma das edições mais memoráveis do evento. 

E foi em 2009 que a CDL quebrou mais um grande tabu: Romana Diniz Lamin se tornou a primeira presidente mulher da instituição. E como seus antecessores, deixou também um legado de muito trabalho e grandes feitos, como a realização da Feira Ponta de Estoque, evento que já em seu primeiro ano contou com mais de 100 stands de diversas lojas do município, oferecendo descontos de até 70% em roupas, calçados, bolsas, artigos infantis, cama, mesa, banho, acessórios, artigos esportivos e decoração, entre outros itens. O sucesso foi tão grande que, em sua segunda edição, a Feira Ponta de Estoque ocupou três pavilhões do Parque de Exposições e se tornou o maior evento de queima de estoque e descontos da cidade, fechando a primeira década do novo milênio com chave de ouro!

 

CDL HOJE

Em 2012, 6 meses após eleito, o Presidente Ailton Petrilli da Costa precisou se afastar da presidência por motivos de saúde, vindo então a assumir a Presidência o seu Vice-Presidente Executivo, André Luis Amendola, que levou o mandato até o fim de 2013 e foi reeleito para a gestão de 2014 a 2015, deixando como grande legado, entre outras realizações, a reforma nas dependências da entidade, que otimizou e modernizou o espaço da sede. A reforma também trouxe inúmeros benefícios para os associados que, à partir de então, puderam contar com modernas salas de capacitação para uso gratuito durante 4 horas por mês. A antiga sala de reuniões também ganhou novos ares, dando lugar a um moderno auditório com capacidade para até 60 pessoas. 

Com a casa nova e modernizada, assumiu em 2016 o Presidente Paulo Barcelos Rodrigues, trazendo consigo novas ideias, porém mantendo o espírito de luta da CDL. Logo em seu primeiro mandato, viu a necessidade de somar forças com todas as CDL's do Estado e a Federação das CDL's do Rio de Janeiro para derrubar o projeto da Lei 7176/15, que previa a criação da Taxa de Serviços Tributários em todo o Estado do Rio, trazendo consequências imensuráveis, princialmente para o comércio varejista. Graças a uma ação rápida da CDL, nenhum associado da entidade estaria obrigado a pagar mais esse tributo até que fosse julgada sua constitucionalidade. Enfim, depois de muita batalha, idas e vindas a reuniões, assembleias e manifestações, finalmente o projeto foi derrubado.

Outra grande realização desta gestão foi a criação do CDL Mulher, projeto idealizado e comandado pela Sra. Rita de Cássia Oliveira Rodrigues, empresária e esposa do Presidente Paulo Barcelos Rodrigues. O CDL Mulher é o braço feminino da CDL Itatiaia-Resende, e tem por objetivo realizar ações voltadas para o universo feminino e campanhas beneficentes em comunidades carentes da região. O CDL Mulher nasceu em 2016, e desde então já realizou deviersos encontros e palestras sobre o cotidiano da mulher através do evento "Mulheres que Brilham", além de uma linda ação solidária de doação de brinquedos a crianças carentes do bairro Baixada Olaria em Resende. 

Em 2017 a CDL Itatiaia-Resende completa 40 anos de existência com uma extensa bagagem de conquistas e realizações, e o que podemos esperar para futuro é a continuidade de um trabalho sério, com dedicação e transparência em prol do comércio, serviços e toda a classe empreendedora da região. 

Juntos somos mais fortes!